Make your own free website on Tripod.com

EXECUÇÃO DE CHEQUE NO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL


EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREIREI TO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DE BRASÍLIA- DF
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

..........., brasileiro, solteiro, .........., portador da CI nº ........ e do CPF nº ..... , domiciliado à ......, Brasília-DF, vem respeitosamente à ínclita presença de Vossa Excelência, com fundamento no artigo do Código Civil, propor

 
 
EXECUÇÃO DE QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE



contra M..........., brasileira, portadora da CI nº ........... e do CPF nº ............., domiciliada na .................., Brasília-DF, pelas razões de fato e de direito a seguir aduzidas.

2. O autor é credor da ré pela quantia de R$ 120,00 (cento e vinte reais), valor referente ao cheque nº ..........., do Banco do Brasil, agência ........., emitido para pagamento de móveis adquiridos pela ré.

3. Diante da dificuldade financeira do autor, e considerando a características de título ao portador, o autor trocou o cheque com a empresa ..............., que depositando o título não logrou receber o valor, já que retornou sem fundo por duas vezes, nos dias 25 e 28 de janeiro de 2000, conforme atestam os carimbos apostos no verso do título (anexo).

4. Destarte, diante da frustração do pagamento, restou ao autor quitar o débito junto à referida empresa e cobrar o valor da ré, que frustrou todas as tentativas de recebimento amigável, cabendo ao autor socorrer-se da presente medida judicial.

5. Face o exposto, requer a Vossa Excelência, que se digne mandar citar o devedor para, no prazo de 24 horas, satisfazer o crédito, pagando principal e acessórios, sob pena de, não o fazendo, serem penhorados tantos bens quantos bastem para quitação do débito. Espera seja o pedido julgado procedente, condenado o réu ao pagamento acima indicado.

6. Protesta provar o alegado por todos meios de prova em direito admitido, em especial pelo depoimento das partes, sob pena de confesso.

7. Dá à causa o valor de R$ 120,00 (cento e vinte reais).
Brasília, 13 de junho de 2000.
 
 

ADVOGADO